Início > Brasil-Holanda, Holanda > País tipo exportação

País tipo exportação

02 - 03 - 2007

Sabia que o Brasil tinha boa fama internacional, mas nunca podia imaginar que seria tão fácil encontrar conexões aqui na Holanda.

A maior parte dos holandeses e holandesas que tive contato até agora conhecem alguém das terras baixas que mora no Brasil ou brasileiras que vivem na Holanda – pelo que pude perceber, o número de mulheres é bem maior do que o de homens brasucas que se aventuram por estas terras. E temos a fama de “trabalhar direitinho e honestamente”. Ao menos é o que os nossos compatriotas refugiados econômicos ouvem dos patrões. Para a maioria de nós, no entanto, resta apenas trabalhar como faxineiras ou pedreiros.

É muito fácil encontrar café brasileiro no cardápio dos bares e restaurantes. Normalmente, o pretinho brasileiro é mais caro do que o expresso e figura entre os cafés especiais que o estabelecimento oferece. Um pouco mais raro, mas possível, é encontrar caipirinha. Não estou me referindo aos bares ou restaurantes verde-amarelo. Em Amsterdam tem pelo menos uns quatro bares, dois restaurantes e um catering brasileiro!

Por falar nas cores da bandeira, todos os dias encontro ao menos uma pessoa usando camiseta ou blusa com a inscrição Brasil (ou Brazil). Gente de todos os tipos e todas as nações! Estas roupas podem facilmente ser encontradas em feiras livres, como a de Waterlooplein, por exemplo.

Nos jornais e outros pontos publicitários da cidade há sempre propagandas de pacotes turísticos para o país tropical, especialmente para o nordeste. E os canarinhos do futebol brasileiro jogam em times holandeses como o Ajax de Amsterdã e o PSV de Eindhoven (o time da Philips), alem de aparecerem em diversas propagandas na televisão.

Na propaganda da Cool Best, tem capoeiristas. Em Amsterdã têm, pelo menos, 12 grupos de capoeira. Escolas de samba brasileiras, como a Unidos de Amsterdã, se apresentam no carnaval de Roterdã.

De acordo com os brasileiros e brasileiras que encontrei por aqui, feijão, panela de pressão, chimarrão, pão de queijo e outras especiarias se encontram facilmente em lugares como o Albert Cuypmarkt – a feira livre mais famosa de Amsterdã. Sem falar das lojas especializadas apenas em produtos brasileiros.

A música brasileira também é bem cotada. De uma loja de sapatos até um festival cultural, o país inteiro se rende ao ritmo brasileiro. Já escutei bossa nova, samba, lounge, pop, funk carioca e até a já fora de moda lambada! Aliás, shows de brasileiros, que vivem no Brasil ou na Holanda, acontecem quase que semanalmente.

August Willemsen é um dos caras que traduzem para o holandês obras de Carlos Drummond de Andrade, Machado de Assis, Graciliano Ramos e Guimarães Rosa. Mas pop por aqui é Paulo Coelho, que August Willemsem se recusa a traduzir por motivos óbvios.

Um filme brasileiro foi um dos premiados no Festival Internacional de Filmes de Roterdã. Nas artes plásticas também tem brasileiro se destacando por aqui.

Poderia continuar a lista falando das relações comerciais, históricas e educacionais, mas acho que vou deixar isso pra Embaixada ou Câmara do Comércio Brasil-Holanda fazer…

Porquê os brasileiros encantam? Não sei a resposta, mas com todas estas conexões, impossível não rir de alegria ou chorar de saudades.

Anúncios
  1. Nenhum comentário ainda.
  1. 12 - 05 - 2007 às 10:09 pm
Os comentários estão desativados.
%d blogueiros gostam disto: