Início > Holanda > O poeta dos mortos

O poeta dos mortos

27 - 05 - 2007

Estava lendo essa semana a Torpedo, a nova revista literária holandesa, quando me deparei com um texto escrito por F. Starik, o “enterro solitário número 69”.

Torpedo(…)

Starik descreve o contato telefônico com a única irmã localizável que o falecido em questão possuía, que conta como ele transformou-se em alcólatra abandonado.

“Nascido em 1922, Gijs van den Werf foi levado a um campo de trabalho na Alemanha por ser socialista, se apaixonou por uma mulher que era casada com um homem que possuía um cargo de confiança numum movimento radical e anti-semita holandês (NSB).”

“Ela separa-se do ‘nazista’ e casa-se com Gijs porque ficou grávida dele. Tudo para a história ter um final feliz. No entanto, ele descobre que o amor da vida dele também foi, no passado, membro do NSB. E ele se entrega à bebida.”

Com a história na cabeça, Starik se aproxima da vida do ser humano em questão. Toma simpatia por ele e, torna-se até um pouco íntimo. Tenta encontrar música para o momento (A Internacional, claro!) e escreve a poesia. No velório, ele a lê. Apenas o assistente social e o corpo gélido presentes.

(…)

Em Amsterdã, morrem a cada ano, quinze pessoas em que apenas os quatro coveiros e o assistente social acompanham a despedida. São viciados em drogas, velhinhos abandonados em asilos, imigrantes sem papéis, alcóolatras, moradores de ruas.

Para tornar tal momento pouco mais humano, Starik iniciou, em 2002, o Poule des Doods, que prepara a última homenagem para os mortinhos solitários. Atualmente, diversos poetas estão ativos em 27 cidades holandesas.

Mórbido? Talvez. Mas acredito ser um trabalho bastante nobre, pena que devolve a dignidade um pouco tarde…

ps: gostei da Torpedo!

Anúncios
  1. paula
    28 - 05 - 2007 às 10:07 pm

    Uau! Essa do poeta dos mortos eu tinha que comentar…
    será que esses caras já preparam a poesia para se lida no próprio enterro?

  2. Carolina
    29 - 05 - 2007 às 5:41 pm

    Acho que poeta não morre, apenas se transforma em versos…

  1. 23 - 01 - 2011 às 9:13 pm
Comentários encerrados.
%d blogueiros gostam disto: