Início > Holanda, Típico holandês > Ano novo, horários de trem novos

Ano novo, horários de trem novos

14 - 01 - 2008

No ano passado um amigo esteve em Amsterdã. Estávamos na Estação Central de trens. Ele viu um dubbeldekker e me perguntou:

– Você vai com um desses de dois andares para o seu trabalho?
Desapontada, respondi:
– Não, eu vou com um daqueles – apontei para o Sprinter

sprinterO Sprinter é um trem bastante simples e que pára em quase todas as estações. Não é muito confortável e tem pouco espaço para sentar-se de maneira agradável e não incomodar o vizinho de banco.

Como se não bastasse, a empresa disponibilizava poucos vagões para o trem que me levava ao trabalho. Como conseqüência, estavam sempre cheios, todos os lugares ocupados e algumas passageiros viajavam em pé. Para poder ir sentada, chegava bem antes do horário de partida.

Em ponto?!?
Caso sigam a regra, muitos dos trens partem em horários quebrados, como por exemplo 08h27 ou 08h57, 17h16, 17h41. Todos os anos, em dezembro, começa a funcionar o novo horário de partida dos trens da NS, a companhia privatizada de trens holandesa.

O livro dos horários de trem pode ser encontrado na maioria das bancas de jornais ou consultado online. Via internet é possível saber que hora o trem parte ou chega no destino desejado, quais as estações intermediárias que para, o número da plataforma de embarque, bem como o valor da passagem. Também é possível receber o itinerário no celular, via sms.

Nas estações, plataformas ou dentro dos trens, os funcionários da companhia costumam andar com palmtops para ajudar os passageiros a encontrar o melhor trem para o destino desejado.

O livro dos horários é bastante discutido, não apenas entre os usuários do transporte e na mídia, como também pelo parlamento holandês. Foi o caso da brochura de 2007, que prejudicava muita gente.

No meu caso, por exemplo, ter de ir com o sprinter era apenas um problema de luxo. Quando o perdia, tinha de esperar meia hora ou utilizar um outro trem cuja viagem demorava cerca de 15 minutos a mais – e ainda tinha de fazer baldeação no meio do caminho. Ao menos, chegava na hora certa no destino.

Intercity dentroFavorável
Há quem tenha reclamado do horário de 2008, mas ele está perfeito para mim.

Na teoria, além de ter seis trens por hora em direção ao meu trabalho, posso utilizar o chamado Intercity, que pára apenas nas estações principais e vai de Amsterdã a Hilversum diretamente, sem parar em nenhuma estação.

Com isso, a viagem dura apenas 21 minutos e não os 39 minutos que durava no ano passado, quando usava um sprinter.

Dependendo do horário, uso inclusive um trem internacional, com destino final a Alemanha. Em geral, o Intercity que uso tem muito mais conforto: cortinas nas janelas (se bem que por enquanto não há sol), mais espaço para as pernas, mesas em algumas das poltronas e bem mais vazio.

Bem, há apenas dois Intercity por hora. Caso o perca, posso utilizar o stoptrein – que para em todas as estações entre Amsterdam e Hilversum, mas não é mais necessário fazer baldeação, como nos horários dos anos anteriores.

E claro, sempre se tem do que reclamar…
…atrasos, por exemplo. Embora esteja bem feliz com a possibilidade de, caso tudo dê certo, em 21 minutos chegar ao meu destino, nesse começo de ano, o trem sair da estação na hora certa foi a exceção e não a regra.

Houve um dia, inclusive, em que cheguei a esperar 20 minutos dentro do trem antes de a locomotiva dar a partida.

Direito de saber o que acontece
IntercitySe bem que eles sempre avisam o motivo dos atrasos, mesmo que seja uma falha técnica ou algo meio impossível de se compreender. Alguns exemplos do que já ouvi:

* O trem parou nos trilhos quando se aproximava de Amsterdã: “Senhoras e senhores, estamos aguardando a liberação de uma plataforma para que possamos estacionar”.

* O trem atrasou na hora da partida: “Senhoras e senhores, não estamos conseguindo unir os vagões motivo pelo qual estamos atrasados”.

* Um trem rápido (sneltrein) andava em baixa velocidade: “Senhoras e senhores, estamos circulando vagarosamente porque um outro trem atrasou e ainda está no nosso caminho”.

* Ficou parado em uma estação por mais tempo do que o necessário: “Senhoras e senhores, uma pessoa no segundo vagão estava passando mal e por isso precisamos chamar o socorro.” E logo em seguida: “Senhoras e senhores, uma maca levou o passageiro até uma ambulância e nós podemos seguir a viagem”.

* Ao se aproximar da estação, avisou um condutor inspirado: “Bom dia senhoras e senhores, meninos e meninas, a próxima estação é Weesp, em Weesp você pode fazer uma baldeação sentido (…). Esperamos que tenham tido uma boa viagem e tenham um bom dia pela frente”.

Algumas curiosidades:
* A passagem de trem na Holanda é relativamente cara. Ida e volta para o meu trabalho (cerca de 30 km), por exemplo, custa 9,10 na segunda classe e 15,40 na primeira classe.

* Na minha opinião, a diferença entre a primeira e a segunda classe está apenas no preço e, por isso, os vagões de primeira são vazios, ou seja, viaja-se com mais privacidade.

* Após às 9h00 a tarifa fica 40% mais barata para quem tem um cartão de descontos. Aqueles que viajam diariamente podem optar por uma assinatura anual ou mensal, evitando de ter de comprar a passagem todos os dias.

* A maioria das empresas reembolsa os gastos com transporte público.

* Estudantes viajam gratuitamente no trajeto casa-escola.

* Não existe uma catraca para entrar no trem e nem há cobrador em todas as viagens. No entanto, caso haja o controle e o passageiro esteja sem o ticket, paga uma multa de 35 euros e o valor da passagem.

* O bilhete para viagens nacionais só pode ser adquirido nas estações de trem, nas máquinas de venda automática (que podem ser pagas com cartão de débito ou moeda).

* Nos guichês em que há um funcionário de carne e osso é preciso pagar 0,50 adicionais pela transação.

* O que esqueci de contar?

artigos relacionados:
*Bicicleta pública & trem

* Cadê o paquera do trem?

* Neve e trem

*Bici dobrável & trem

Submarina indica:
* Spoorwegmaterieel : fotos dos mais diferentes tipos trens que circulam e/ou circularam na Holanda, bem como uma breve descrição técnica e histórica sobre o meio de transporte.

Anúncios
  1. 14 - 01 - 2008 às 10:13 pm

    Achou a luva? rs!

    Bjos,

  2. Valerie
    14 - 01 - 2008 às 11:37 pm

    Interessante esse post! Fiquei sabendo de coisas q não tinha nem idéia….

  3. 28 - 01 - 2008 às 8:10 pm

    Muito bom! Legal saber desses detalhes do funcionamento, do dia-a-dia aí, Dani! 😀
    :**

  4. 29 - 01 - 2008 às 12:51 am

    Achei nada, Rodrigo! E me lembrei que perdi outro par, um tempo atrás, também de maneira absurda. Minhas mãos esquentaram enquanto pedalava e coloquei as luvas no bolso da jaqueta… quando cheguei na estação elas não estavam mais lá. O vento as levou…

    beijo,

  1. 15 - 08 - 2009 às 2:24 pm
  2. 01 - 05 - 2010 às 10:09 pm
Os comentários estão desativados.
%d blogueiros gostam disto: