Archive

Posts Tagged ‘consumo’

De onde elas vêm, pra onde vão?

Elas estão por todos os lados nesta época do ano. A tradição ‘manda’ comer oliebol na virada de ano. E os oliebollen podem ser comprados nos supermercados, padarias e, claro, nas oliebollenkraampjes, espalhadas por todos os lados. Os trailers que vendem o oleoso bolinho estão em cada esquina.

As chamadas oliebollenkraampjes surgem a partir de outubro, ficam nas ruas até o final de dezembro e depois desaparecem. Para onde elas vão?

Leia mais…

Bicicletas não têm para-brisas

27 - 06 - 2009 Comentários desligados

reclameopdefiets

Publicidade de selim

Categorias:Holanda Tags:, ,

Flores quenianas na Holanda

imgO Holland doc, programa da tv holandesa de documentários, exibiu Bloeiende Handel essa semana. Negócio que floresce (traduzindo) segue três moradores de Naivasha, uma vila queniana que sofre as consequências da instalação de uma empresa de flores.

Uma das retratadas no documentário é Jane. Ela é uma mãe jovem. Tem quatro filhos. Trabalha das sete da manhã às dez da noite. Chega em casa cansada e vai cozinhar para as crianças, cantar com elas e alfabetizá-las.

O pequeno e humilde lar de Jane não tem banheiro. Mas ela não sai de casa à noite caso precise fazer as necessidades básicas por que corre o risco de ser estuprada… e essa é apenas uma parte da história de Jane.

Leia mais…

Pedacinhos de coco

kokosMe lembro de que quando era criança minha mãe comprava o coco inteiro. Ela tinha o trabalho de furá-lo, tirar a água de coco, parti-lo no meio e finalmente tirávamos os pedacinhos de coco com uma colher.

Não é todo dia, mas de vez em quando encontro os pedacinhos de coco prontinho para o consumo no supermercado mais próximo de casa. E não os deixo na prateleira: entra na minha cestinha de compras e quando chego em casa os devoro enquanto preparo o jantar.

A última vez que me deparei com eles no supermercado estava em busca de guloseimas para levar para o trabalho. Uma vez por semana encho o baleiro da redação com dropjes. “E porque não levar algo saudável para compartilhar com os colegas?” pensei.

Leia mais…

A ervinha salgada

O dia estava nublado. Céu cinza, embora a temperatura estivesse amena. Decidimos fazer uma caminhada pelo Boschplaat, a reserva natural que fica no oeste da ilha de Terschelling.

Caminhamos próximo ao dique no mar de Wadden, sob uma área chamada de kwelder, ou seja, onde a argila do mar vai se transformando e permite, ao longo dos anos, o estabelecimento de vegetações.

Uma plantinha chamou a minha atenção. Percebendo o interesse, o namorado explicou que a Zeekraal (ou seja a salicórnia) é comestível. Aguçou a curiosidade culinária!

Leia mais…

Copo com caução

Cris e Roberta, um casal de brasileiros de passagem por Amsterdã, aproveitaram o final de semana para curtir o Uitmarkt.

Na abertura da temporada cultural 2008/2009 da cidade, puderam assistir gratuitamente a diversas apresentações, como a do The violent husbands, a mais aplaudida por eles.

Entre um show e outro, freqüentaram os bares do evento e descobriram o copo retornável:

“Você paga a cerveja e uma quantia a mais. Quando você devolve o copo, você recebe o dinheiro de volta”, explicou Cris, que gostou da idéia.

Leia mais…

Confiança no consumidor

Morangos, batatas, ovos, abobrinha e outros alimentos podem ser comprados diretamente do produtor no norte da província de Noord Holland. Em frente as casas, há plaquinhas que indicam o nome dos produtos que oferecem, bem como o preço.

A mesma caixinha de morangos, que custa €2,75 no mercado, em Wognum, custa €1,30 na porta do agricultor, que fica há cerca de três quilômetros de distância. O surpreendente, no entanto, é a maneira como o morango é comercializado.

Em frente à casa do produtor, as caixinhas de morango ficam dentro de uma espécie de gôndola de supermercado improvisada.

Não há ninguém vendendo ou observando. Nem é preciso esperar o proprietário da casa aparecer: basta pegar os morangos e depositar o dinheiro na caixa de correio da casa!

Ovos são comercializados da mesma maneira (foto). Dentro do armário encontram-se três tipos de ovos, com preços que variam entre €1,50 e €2,00. Escolhe-se o produto e coloca-se o dinheiro na caixa de correio do granjeiro.

Leia também:
Nee/Nee Sticker