Arquivo

Posts Tagged ‘Hilversum’

Dessa vez eu tolero

Quinta-feira, nove da noite. Estava em casa, me preparando para ir para o trabalho quando percebi que Frits me olhava. Olhei para ele e pensei: “e porque não levá-lo comigo?”

2246309186_8ddcbdd496Não hesitei. Mandei um sms para o apresentador do programa, perguntando se podia levar o cachorro que estava hospedado na minha casa. Acrescentei que Frits era realmente um ‘gentleman’ em forma de cão.

Leia mais…

Re: oi Batateira

oi batateira, tá tudo bem por aí?
eu vi na TV que um doidão avançou em cima da família Real de carro…
como anda tudo por aí? pós, trabalho, crise, gripe suína… tudo sob controle?

um beijo

******

Oi Rafa, bom saber que seus pensamentos andam por aqui!

Acho que o telefone sem fio distorceu a notícia por aí. Ninguém da família real foi atingida pelo suzuki desgovernado do ex-agente de segurança que perdeu o emprego, não tinha mais grana para pagar o aluguel e acabou com a própria vida – e de mais sete pessoas – dessa forma.

Mas a Rainha, o príncipe e a princesa não deixam se intimidar. Como todos os 4 de maio, às oito da noite, os membros mais visados da família real estiveram na praça Dam em Amsterdã para fazer os dois minutos de silêncio pelas vítimas de guerra no mundo a partir da segunda guerra mundial.

Leia mais…

Pedestres ordenados

O trem abre as portas. A maioria dos passageiros desce. Eles descem também os poucos degraus que separam a plataforma da saída da pequena estação. Passando a cerca de alumínio, observam se a ciclovia de mão dupla pode ser atravessada sem perigo.

Não há calçada no lado da rua próximo à estação, apenas a ciclovia. Assim, os pedestres aguardam alguns instantes na calçada curta, que acaba no ponto de ônibus. Olham para a direita e esquerda antes de atravessar a rua movimentada. Se não há carros, eles passam para o outro lado e começam a andar na longa calçada.

Leia mais…

Aberta mas em reforma

A estação central de trens, em Hilversum, é uma das que atualmente estão funcionando, embora estejam em obras.

frente

Leia mais…

(meme) Dá-lhe di Stefano!

‘Ken je Di Stefano?’ (Você conhece o Di Stefano?)

Me perguntou uma vez, um dos técnicos de som com quem trabalho na rádio. A pergunta tem a ver com o meu sobrenome.

Até mesmo o técnico não sabia muito do jogador; sabia apenas que ele o admirava pelo bom futebol que jogava. Não sabia, por exemplo, de qual país ele era ou para qual time tinha jogado. E entãogugolou para ter mais informações.

E claro, como não conheço nada nem ninguém no mundo desse esporte, não tinha a menor idéia de que o portenho, nascido em 4 de julho de 1926, batia mais bola do que o Pelé. Ao menos nas palavras do também argentino Diego Maradona.

Talvez esse seja o Stefano mais famoso que possa ser encontrado via internet. Num ego-surf em busca de famosos com meu sobrenome, encontrei também um Joseph Stefano, roteirista de filmes de suspense e amigo do Alfred Hitchcok, além de encontrar CDs à venda de um tenor chamado Giuseppe di Stefano.

O meu colega de redação, em Hilversum, e ‘blogueiro pneumático‘ me convocou para um ‘meme’ que consistia em procurar pessoas famosas que tivessem o mesmo sobrenome que eu na internet . Talvez o também argentino que, como eu, vive na Holanda, possa confirmar se Alfredo di Stefano realmente era um astro do futebol.

Bom considerei apenas o Stefano como sobrenome, já que Stefano é na verdade nome bastante comum.

Por hora, a única coisa que posso fazer é ficar livre do meme. Como? Passando a bola para outros blogueiros: Lisa piscou para mim, Fernando Trevisan, Trovi, Peripécias de uma bailandesa e Christianovyc Pyanowinski

Minha bici caducou?

Costumo dizer que a minha bicicleta não é apropriada para a cidade onde eu trabalho. Hilversum é muito civilizada para uma magrelinha que já rodou bastante. Ela era dobrável. De tão antiga não arrisco dobrá-la. Ela é marrom e o guidão tornou-se marrom de ferrugem.

Hilversum é a cidade da mídia, onde a maioria das emissoras de TV e rádio holandesas estão estabelecidas. Fica numa região cheia de verde, casas enormes e bicicletas novas. E a minha é ideal para Amsterdã, onde a maioria dos moradores possuem bici capengas justamente para que não sejam roubadas. Isso acontece com tanta freqüência.

Velhinha mas funciona!
Logo que mudei para Amsterdã, uma amiga do namorado me emprestou essa bici. Depois de um tempo, a corrente quebrou. Na época, levei a bicicletaria mais próxima e consertar ficava mais caro do que comprar uma bicicleta usada. Acabei a encostando no porão. Quando percebi que era mais negócio ter uma bici em Hilversum do que caminhar ou depender do ônibus para chegar ao trabalho, resolvi, antes de mais nada, recuperar a pequena.

Leia mais…