Arquivo

Posts Tagged ‘meio ambiente’

Flores quenianas na Holanda

imgO Holland doc, programa da tv holandesa de documentários, exibiu Bloeiende Handel essa semana. Negócio que floresce (traduzindo) segue três moradores de Naivasha, uma vila queniana que sofre as consequências da instalação de uma empresa de flores.

Uma das retratadas no documentário é Jane. Ela é uma mãe jovem. Tem quatro filhos. Trabalha das sete da manhã às dez da noite. Chega em casa cansada e vai cozinhar para as crianças, cantar com elas e alfabetizá-las.

O pequeno e humilde lar de Jane não tem banheiro. Mas ela não sai de casa à noite caso precise fazer as necessidades básicas por que corre o risco de ser estuprada… e essa é apenas uma parte da história de Jane.

Leia mais…

Copo com caução

Cris e Roberta, um casal de brasileiros de passagem por Amsterdã, aproveitaram o final de semana para curtir o Uitmarkt.

Na abertura da temporada cultural 2008/2009 da cidade, puderam assistir gratuitamente a diversas apresentações, como a do The violent husbands, a mais aplaudida por eles.

Entre um show e outro, freqüentaram os bares do evento e descobriram o copo retornável:

“Você paga a cerveja e uma quantia a mais. Quando você devolve o copo, você recebe o dinheiro de volta”, explicou Cris, que gostou da idéia.

Leia mais…

Divirtam-se com a tempestade!

Previsão do tempo: chuvas, granizos e ventos fortes.
Idéia do namorado: ver as ondas altas

ZandvoortEstacionamos o carro em frente a uma praia.

Saímos do veículo e andamos em direção à areia. Muita gente caminhava com dificuldade na praia, fascinados com a bravura do mar e lutando contra a ventania.

Propus irmos para a barraca de praia* mais próxima.

Leia mais…

O progresso e o protesto

A estação de trem e metrô Sloterdijk, em Amsterdã fica numa área rodeada por prédios modernos. A maioria deles funciona como escritório. Em volta da estação está a Carrascoplein.

carrascoplein

Os urbanistas que receberam a tarefa de transformar a área repleta de viadutos em monumento não conseguiram imaginar um local onde a natureza pudesse coabitar com o progresso. Plantaram ali troncos de árvores de metal.

Leia mais…

A obesidade, a fome e a imigração

A VPRO (emisora de TV holandesa) exibiu, em maio, o documentário Vette Honger, que trata da interdependência entre a obesidade e a fome e que, num mundo globalizado, inclui a imigração.

Vette HongerPartiu-se da estimativa de que em 2007 mais gente vai morrer pelo excesso (um bilhão) do que pela falta de comida (820 milhões de pessoas).

A população engordou e 41% dos moradores dos Países Baixos estão acima do peso. Este número é tão alarmante quanto o de que 35% dos produtos alimentícios são jogados fora.

Há 30 anos se produz mais do que se consome no mundo todo. Por dia, são produzidas 2770 calorias para cada pessoa que habita no globo terrestre. No entanto, a fome ainda não foi extinta do nosso planeta.

Leia mais…

Sem carros e com capoeira

Neste domingo, 23 de setembro, Amsterdã encerra a semana européia de locomoção sustentável com o Amsterdam autovrij, ou seja, carros não estão permitidos a circular no centro da cidade das 9h00 às 17h00.

Com os veículos do lado de fora do anel viário, a idéia é promover atividades que façam com que os amsterdameses se movimentem de maneira saudável, em uma cidade limpa.

Dentre as atividades programadas, um workshop de capoeira, oferecido pelo Mestre Marreta. O evento acontece das 14h00 às 16h00 na Hobbemakade, entre a Roelof Hartstraat e o posto de gasolina.

Os organizadores do ‘Friday night skate’ prepararam para este domingo o Sunday afternoon skate. Outros vão participar de caminhadas e passeios ciclisticos, além da pretensão de se quebrar o recorde do Guinness Book na categoria desenho à giz na rua. Até agora, o maior desenho à giz na rua era de 5.615 m2.

Veja aqui um spot da prefeitura de Amsterdã sobre o ‘Amsterdam autovrij’.

Vista aérea

Pela primeira vez, ao viajar para a Holanda, pude ver o país das alturas. Todas as outras vezes, quando estava prestes a aterrissar por aqui, o tempo estava encoberto e só conseguia ver nuvens cinzas. Então aproveito que estou na janelinha para curtir a paisagem.

Este país tem uma beleza singular. Grande parte da paisagem se resume a muita água, diques e um verde “organizado” e plano.

Vista Aérea Como grande parte do que é terra hoje, um dia foi água, significa que muitas daquelas graminhas que formam os pôlders e arvorezinhas dos bosques não estão ali de maneira natural, foram plantadas por alguém um dia. De tão simétricos, os arroios parecem que foram até desenhados.

De repente penso que estou vendo fumaça e a minha visão de país perfeito vai perdendo a altitude. Infelizmente, o ar da Holanda é um dos mais poluídos do mundo.

Leia mais…

Justos e agroecológicos

Está cada vez mais fácil encontrar produtos agroecológicos ou de comércio solidário na Holanda. No ano passado, na contagem anual da Solidaridad e Milieu Defensie, dos 412 mercados pesquisados, uma filial da rede Plus em Amersfort foi a vencedora na categoria ecológicos, com 863 produtos e uma loja Jumbo de Roterdã vencedor na categoria comércio equitável, com 69 mercadorias.

Em geral, marcas como Eko, Fair Trade e Max Havelaar, por exemplo, podem ser encontradas na maioria dos supermercados. Frutas, cafés, chás, chocolates, mas também óleos e azeites, condimentos e grãos e uma série de produtos alimentícios levam certificação agroecológica ou de comércio equitável.

Há também a rede de Natuurwinkel, supermercado que comercializa somente produtos agroecológicos, de frutas e legumes a sabão em pó e detergentes, de produtos higiênicos e cosméticos até rações para animais domésticos.

Leia mais…

NEE/NEE-sticker

Anualmente, cada moradia recebe 34 quilos de propaganda não solicitada na caixa de correio na Holanda, segundo Milieu Centraal.

Aqui em casa, por exemplo, a maioria desses panfletos ia para o lixo de reciclagem de papéis sem sequer serem vistos.

NEE/NEE-stickerDe maneira exagerada, posso dizer que esta montanha de propaganda indesejada causava enojamento e dor de cabeça toda vez que abria a caixa de correio.

Finalmente esse ‘problema’ acabou. Agora temos um “NEE/NEE-sticker” na nossa caixa de correio.

Um adesivo “NÃO/NÃO” significa que você não quer receber propagandas nem jornais locais gratuitos.

Há também o “NEE/JA sticker”, ‘NÃO para panfletos que vendem todo tipo de mercadoria e SIM para os jornais locais.

Como uma espécie de ritual de libertação, namorado e eu fomos juntos até a prefeitura buscar tal adesivo. Em menos de um minuto o tínhamos em mãos. Em seguida, o colamos em nossa caixa de correio. Pronto!

O NEE/NEE-sticker pode ser retirado gratuitamente na sede da prefeitura ou pedido via telefone através do número 0900-202.5095 (0,25€ por minuto).

ps: a Milieu Centraal é uma organização holandesa que procura informar os consumidores no país sobre práticas relacionadas ao meio ambiente.

Até cachorro paga imposto!

Uma das correspondências que mais aterrorizam os moradores da Holanda são aquelas que chegam em envelopes azuis. Essa é a marca registrada do serviço de impostos (o Belastingdienst). Receber um envelope azul significa, na maioria das vezes, que se está devendo para o ‘leão real’ – e a mordida costuma ser dolorida.

JolliePode doer um pouquinho mais se você for protetor de um cachorro. Quem tem au-au em casa deve pagar, anualmente, o imposto do cachorro (hondenbelasting). A taxa varia, de acordo com a prefeitura. Nesse ano, em Amsterdã, os donos de cãozinhos pagaram 94,68 euros.

Para quê?
De acordo com a prefeitura de Amsterdã, existem atualmente 23 mil cachorros registrados. Cada au-au recebe uma medalha, que deve estar sempre com ele e serve para o controle.

O dinheiro arrecadado destina-se à conservação e limpeza dos lugares em que os cachorros podem freqüentar e fazer suas necessidades, para a manutenção de asilos de cachorros sem donos ou abandonados, enfim, é revertido em benefícios para os animais.

Multas
Ainda assim, deixar o cocô do cãozinho no meio de uma calçada pode custar 75 euros! E a prefeitura de Amsterdã avisa que esse ano está realizando controles extras!

Leia mais…